Resistência à penetração e agregação de um Latossolo Amarelo sob monocultivo de soja e de eucalipto no cerrado do Piauí

Thiago Vinicius Barros Ibiapina, Adeodato Ari Cavalcante Salviano, Luís Alfredo Pinheiro Leal Nunes, Francisco Edinaldo Pinto Mousinho, Milciades Gadelha de Lima, Laércio Moura dos Santos Soares

Resumo


A qualidade física do solo é essencial para a sustentabilidade dos agroecossistemas, pois está rela­cionada com processos fundamentais para o desenvolvimento das culturas agrícolas. O objetivo deste trabalho foi investigar os impactos do manejo do solo sobre os atributos físicos de monocultivos de soja e eucalipto. Foram avaliados a resistência à penetração, agregação e carbono orgânico total em solos sob monocultivo de soja e eucalipto com 2 e 4 anos em relação a uma mata nativa de cerrado que foi usada como controle. Observaram-se maiores valores de resistência à penetração para sistemas com preparo convencional e cultivado com soja a partir da profundidade 0,10 m, alcan­çando o valor 6,0 MPa, classificado como muito alto. O cerrado nativo e o eucalipto cultivado após a derrubada da mata propiciaram menor resistência à penetração ao longo do perfil com valores classi­ficados nas classes baixa e moderada. O sistema sob manejo convencional modificou a estrutura do solo, resultando em menor proporção de solo nas maiores classes de agregados e índice de estabili­dade de agregados. O monocultivo do eucalipto, por meio do cultivo mínimo, preservou as caracterís­ticas físicas originais do solo. 


Texto completo:

ARTIGO COMPLETO


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n4p411-418