Caracterização química em substratos de resíduos industriais e urbanos para a obtenção de mudas de café

Juliano Coruli Corrêa, Leonardo Theodoro Büll, Munir Mauad, Marco Antonio Tecchio, Carlos Alexandre Costa Crusciol

Resumo


Ainda não são conhecidas as ações dos resíduos industriais e urbanos na formação de substrato para mudas de café. Cada resíduo apresenta característica própria, podendo ou não proporcionar efeitos benéficos na formação de substratos. Se essas características forem conhecidas, o substrato formado poderá formar muda de melhor qualidade. O presente trabalho teve como objetivo verificar a ação dos resíduos industriais e urbanos na formação de vários substratos para mudas de café, considerando-se suas propriedades químicas, o desenvolvimento das mudas e o pegamento a campo. O experimento foi instalado em tubetes, utilizando-se da variedade Catuaí amarelo (Coffea arabica) IAC H2077 – 2.5.86. Foram utilizados quatro resíduos: lixo domiciliar urbano (Lixo), biossólido de biodigestores (LB), terra diatomácea (Td) e torta de filtro com vinhaça (T+V). As doses dos resíduos corresponderam a 0; 0; 20 e 30% do volume de substrato. Os tratamentos com resíduos não receberam calcário nem fertilizante durante o preparo dos substratos. A testemunha foi constituída de um substrato recomendado pelo IAC. Todos os substratos ficaram incubados por vinte dias. Os resíduos que podem ser utilizados para composição de substrato para mudas de café em tubetes, são o Td, T+V e Lixo, em razão de as mudas terem apresentado maior vigor, o que conferiu maior pegamento a campo. Todos os resíduos atuaram como fornecedores de nutrientes, proporcionando assim características distintas ao substrato para mudas de café, de acordo com o tipo de resíduo utilizado na sua respectiva dose.Palavras-chave adicionais: biossólido; lixo urbano; resíduos industriais.

Texto completo:

Artigo completo - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2006v34n2p238+-+248