Teores de nutrientes em plântulas de guandu e labe-labe sob efeito do alumínio na solução nutritiva

Leonardo Lucas Madaleno, Durvalina Maria Mathias dos Santos, Adão Marim, Lucas Mateus Codognotto, Nilce Naomi Kobori, David Ariovaldo Banzatto

Resumo


Verificaram-se, no presente trabalho, os teores de nutrientes em plântulas de guandu e labe-labe sob efeito do alumínio na solução nutritiva. As plântulas foram transferidas, 0 dias após a germinação em areia, para frascos de vidro de 90 mL, contendo solução nutritiva de Clark e alumínio (0,0; 0,25; 0,5 e ,0 mmolc dm-3). O experimento foi conduzido, por 20 dias, em sala de crescimento com fotoperíodo de 2 horas e temperatura controlada. Foram determinados os teores de N, P, K, Ca, Mg, S, Mn, Cu e Fe. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com arranjo fatorial 2x4, com três repetições. Em ambas as forrageiras, o alumínio não causou qualquer efeito nos teores de N, S e Fe, mas diminuiu os de K, Mg e Mn. As menores concentrações de alumínio aumentaram os teores de Cu no labe-labe. Como a condição de elevado teor de P e/ou Ca na planta é um indicativo de tolerância ao alumínio, o guandu e o labe-labe podem ser considerados plantas não-tolerantes, em razão de os teores de P e Ca serem drasticamente reduzidos, proporcionalmente ao aumento das concentrações de alumínio na solução nutritiva.Palavras-chave adicionais: Cajanus cajan; Lablab purpureus; nutrição mineral; toxicidade; sulfato de alumínio.

Texto completo:

Artigo Completo - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n1p12-19