Divergência genética entre progênies de cnidoscolus phyllacanthus submetidas a três regimes hídricos

Eder Ferreira Arriel, Rinaldo Cesar de Paula, Teresinha de Jesus Deléo Rodrigues, Olaf Andreas Bakke, Nair Helena Castro Arriel

Resumo


Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o efeito de três regimes hídricos na formação de mudas em 32 famílias de polinização aberta de Cnidoscolus phyllacanthus (faveleira) e estudar a divergência genética entre esses materiais. A faveleira é uma planta xerófila que pode ser empregada para recuperação de áreas degradadas, alimentação animal e humana, medicina, serraria e energia, dentre outros usos. O experimento foi conduzido no delineamento de blocos casualizados, no esquema fatorial 32 x 3 (32 famílias e 3 regimes hídricos), com quatro repetições. Inicialmente, foi realizada análise de variância, para cada característica, para estudo da variabilidade genética. Para a avaliação da divergência, os dados foram submetidos a análise de agrupamento pelo método de Tocher e, adicionalmente, foi feita a identificação dos caracteres mais importantes para a divergência, pela técnica de Componentes Principais. Destacaram-se famílias que obtiveram as maiores médias para a massa seca de raiz e/ou, razão raiz/parte aérea e divergentes. A redução na disponibilidade hídrica afetou negativamente todos os caracteres, exceto o número de espinhos. Os caracteres passíveis de descarte, em futuros estudos, são diâmetro, altura, massa seca de folha, parte área e total, que representam 60% dos caracteres avaliados. Palavras-chave adicionais: semi-árido; estresse hídrico; oleaginosa; forrageira.

Texto completo:

Artigo completo - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2006v34n2p229+-+237