Análise dos parâmetros biométricos, acúmulo de prolina e identificação de genes envolvidos na resposta ao déficit hídrico em cana-de-açúcar, por cDNA-AFLP.

Daniele Fernanda Jovino Gimenez, Gisele Cristina Dedemo, Juliana da Silva Vantini, Ana Carolina Buzinari da Silva, Renata Izabel Dozzi Tezza, Karina Maia Dabbas, Miguel Ângelo Mutton, Maria Inês Tiraboschi Ferro

Resumo


A cana-de-açúcar (Saccharum spp.) é uma das mais importantes culturas agrícolas, e o Brasil é considerado o maior produtor mundial de etanol. Entretanto, sua produção é diretamente influenciada pelos estresses ambientais, entre os quais o déficit hídrico. Sendo assim, o objetivo do trabalho foi avaliar o comportamento, por meio de análises biométricas e bioquímica, de três cultivares de cana-   -de-açúcar, duas tolerantes (SP83-5073 e RB86-7515) e uma sensível (SP86-155) ao estresse por déficit hídrico, e verificar a expressão gênica diferencial dependente do genótipo, utilizando a técnica de cDNA-AFLP. Em casa de vegetação, as cultivares foram submetidas a 1; 3; 5 e 10 dias de supressão da rega. Foi verificado na cultivar RB86-7515 os maiores diâmetro do colmo, matéria fresca e seca de folhas e bainha, e na cultivar SP86-155, maiores altura inicial, número de folhas e matéria fresca de colmo. O teor de prolina livre nos palmitos foi estatisticamente significativo a partir do terceiro dia de supressão da rega. Pela técnica de cDNA-AFLP, foram detectados fragmentos expressos (FEs) e fragmentos exclusivos expressos nas cultivares tolerantes (FEs-T). Com 10 combinações de primers seletivos EcoRI/MseI, em gel de poliacrilamida, foram observados 1.077 FEs nas cultivares tolerantes controle e sob estresse hídrico. Destes, 463 fragmentos na SP83-5073, sendo 170 fragmentos nas plantas sob estresse hídrico e 18 FEs-T. Na RB86-7515, observaram-se 614 fragmentos, onde 283 fragmentos nas plantas sob supressão da rega e 30 FEs-T. A análise comparativa do perfil de expressão revelou fragmentos de transcritos similares a Citocromo P450 de sorgo, betaglucosidase, glyceraldehyde-3-phosphate dehydrogenase e DNA helicase.


Texto completo:

ARTIGO COMPLETO


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2013v41n2p209-225