Biologia floral de pepino (Cucumis sativus L.) tipo Aodai cultivado em estufa

Daniel Nicodemo, Euclides Braga Malheiros, David De Jong, Regina Helena Nogueira Couto

Resumo


O conhecimento da biologia floral da cultura do pepino pode favorecer o produtor em decorrência do manejo otimizado a partir das características da cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar caracte­rísticas relativas à biologia floral de pepino tipo Aodai, cultivares Aodai HT e Exocet, no que se refere ao número de flores por planta, período de antese, concentração de açúcares no néctar, produção e viabilidade dos grãos de pólen e receptividade do estigma. O experimento foi realizado em três estu­fas localizadas na USP/Ribeirão Preto. A antese teve tempo médio de 10 horas para as duas cultiva­res. A concentração de açúcares do néctar foi maior em flores femininas, e sua produção foi maior no período da tarde. A quantidade de grãos de pólen foi de 8.450 por flor de pepino da cultivar Aodai HT, sendo que as flores da cultivar Exocet apresentaram produção 46,7% menor. A viabilidade dos grãos de pólen é alta tanto no período da manhã quanto no período da tarde, e os estigmas foram recepti­vos até às 15 horas. O investimento energético em recursos florais da cultivar Aodai HT é maior que na cultivar Exocet.



Palavras-chave


antese, florescimento, néctar, pólen.

Texto completo:

Artigo Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2012v40n1p41+-+46