Desempenho agronômico do milho safrinha em resposta às épocas de aplicações e fontes de nitrogênio.

Claudemir Zucareli, Gustavo Bastos Alves, Mariana Alves de Oliveira, Maria Helena Machado

Resumo


A ureia e o sulfato de amônio são os fertilizantes nitrogenados mais utilizados na agricultura brasileira, e ambos estão sujeitos a perdas de nitrogênio no solo. Objetivou-se avaliar épocas de aplicação de adubação nitrogenada nas características agronômicas e produtivas do milho safrinha, utilizando diferentes fontes do nutriente. Utilizou-se da cultivar A4454 sob o delineamento experimental de blocos casualizados, totalizando nove tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos pela combinação de duas fontes de nitrogênio: ureia (U) e sulfato de amônio (SA), em quatro épocas de aplicação de 100 kg ha-1 de N: dose total na semeadura (DTS); dose total em cobertura (DTC); dose parcelada em semeadura (20 kg ha-1) e uma aplicação em cobertura no estádio V7 (80 kg ha-1) (DPS1C); e dose parcelada em semeadura (20 kg ha-1) e duas aplicações de cobertura nos estádios V7 (40 kg ha-1) e V12 (40 kg ha-1), (DPS2C), e uma testemunha adicional sem aplicação de nitrogênio, com quatro repetições. Foram avaliados componentes de produção, características fitométricas e a produtividade. Os dados foram submetidos à análise de variância, e as médias, comparadas pelo teste de Tukey p<0,05. A aplicação de ureia em dose total na semeadura e em cobertura ou, ainda, em semeadura com uma cobertura, equivale-se ao comportamento agronômico da testemunha. A aplicação de sulfato de amônio parcelado na semeadura, combinado com uma aplicação em cobertura, favorece o desempenho agronômico da cultura do milho safrinha. Todos os tratamentos com sulfato de amônio apresentaram média de produtividade superior à testemunha.


Texto completo:

ARTIGO COMPLETO


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n1p60-67