Distribuição espacial de Lysiphlebus testaceipes (Cresson) (Hymenoptera: Aphidiidae) em algodoeiro cultivado em sistema adensado

Tardelly de Andrade Lima, José Bruno Malaquias, Jéssica Karina da Silva Pachu, Francisco de Sousa Ramalho, Renato Isidro, Aline Cristina Silva Lira

Resumo


No presente estudo foram avaliados os efeitos do adensamento do algodoeiro na distribuição espacial do para­sitoide de afídeos Lysiphlebus testaceipes (Cresson) (Hymenoptera: Aphidiidae). Os três espaçamentos adota­dos foram: 0,40 m x 0,20 m (E1), 0,80 m x 0,20 m (E2) e 1,60 m x 0,20 m (E3). Foi utilizado o delineamento em blocos ao acaso com quatro repetições. Os resultados evidenciaram que o arranjo espacial de algodão modifica o padrão de dispersão de L. testaceipes. O parâmetro “b” da equação de Taylor foi superior à unidade nos espaçamentos: 0,40 m e 1,60 m, enquanto que em 0,80 m o valor de “b” foi inferior à unidade. Portanto, populações de  L. testaceipes em condições de espaçamento entre linhas de 0,40 m e 1,60 m estão distribuídas de forma agregada, todavia se distribuindo de forma uniforme em 0,80 m. O modelo de Iwao revelou que para os espaça­mentos: 0,80 m e 1,60 m existe uma tendência de repulsão dos indivíduos, pois os valores da constante “a” fo­ram menores que 1. O modelo de Nachman se ajustou apenas para os dados populacionais em algodão cultivado em 0,80 m, portanto, para este sistema, planos que visam à estimativa do nível populacional de L. testaceipes podem ser baseados apenas em observações de presença/ausência, ao invés da contagem individual. Os resultados do presente estudo são relevantes para estratégias de liberação e conservação de L. testaceipes para controle biológico de populações de afídeos em algodão.


Texto completo:

ARTIGO COMPLETO - FULL TEXT


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2021v49n1p14-18