Avaliação do potencial fisiológico de sementes de couve-flor

Auricléia Sarmento de Paiva, Magnólia Mendonça Lopes, Saionara Maria Tesser, Maristela Panobianco, Roberval Daiton Vieira

Resumo


As hortaliças representam uma fatia importante do mercado agrícola brasileiro, sendo necessários testes adequados para a avaliação do potencial fisiológico de suas sementes. Nesse sentido, o presente estudo teve por objetivo comparar diferentes métodos para a avaliação da qualidade de sementes de couve-flor. Para tanto, cinco lotes de sementes do híbrido 'Sharon' foram submetidos aos testes de germinação, condutividade elétrica (4x50 sementes; 25 ºC; 75 mL; 2, 8 e 24 horas de embebição), envelhecimento acelerado tradicional e com solução saturada de NaCl (4 ºC; 48 e 72 horas de condicionamento). Adotou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, sendo a comparação de médias efetuada pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Pelos resultados obtidos, pode-se concluir que o teste de condutividade elétrica (4x50 sementes; 75 mL; 24 horas de embebição; 25 ºC) mostrou maior eficiência para detectar diferenças dos níveis de qualidade fisiológica dos lotes avaliados, o que não foi possível usando-se o teste de envelhecimento acelerado.Palavras-chave adicionais: Brassica oleracea L.; vigor; germinação.

Texto completo:

artigo completo - pdf


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n1p103-105