Teste de condutividade elétrica para avaliar a qualidade fisiológica de sementes de brócolis (Brassica oleracea L. var. italica Plenk)

Simone Aparecida Fessel, Lazáro José Ribeiro da Silva, Rubens Sader

Resumo


O presente trabalho teve por objetivo adequar o teste de condutividade elétrica para avaliar o vigor de sementes de brócolis, considerando os efeitos de temperatura, quantidade de água, número de sementes e período de embebição. Foram utilizados nove lotes de sementes de brócolis, dos cultivares Piracicaba Precoce, Ramoso Santana, Flórida e Baron, que foram submetidos aos testes de germinação, primeira contagem, índice de velocidade de germinação, comprimento de plântulas, massa seca, envelhecimento acelerado e condutividade elétrica. O trabalho foi realizado em duas etapas: na primeira, foram estudadas as condições de período e de temperatura para a execução do teste de condutividade elétrica, fixando-se o número de sementes (25) e a quantidade de água (25 mL); avaliaram-se os períodos de embebição de , 2, 3, 4, 5, 6 e 24 horas, a 20 e 25 ºC. A interpretação dos resultados permitiu definir o período de 24 horas a 25ºC como o mais promissor. A partir desses dados, avaliaram-se então o número de sementes (25, 50 e 75) e a quantidade de água (25 e 50 mL). Os resultados permitiram concluir que o teste de condutividade elétrica com 25 sementes, em 25 mL de água, a 25 ºC por 24 horas, constituiu a melhor opção para avaliar a qualidade de sementes de brócolis.Palavras-chave adicionais: testes de vigor; qualidade de sementes; germinação.

Texto completo:

artigo completo - pdf


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n1p35-41