Produção de palmito de pupunheiras (Bactris gasipaes Kunth) submetidas a diferentes espaçamentos e formas de adubação mineral e orgânica na Amazônia Central

Raimundo Cajueiro Leandro, Kaoru Yuyama, Elaine Cristian de Sousa Coelho

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar a produção de palmito de pupunheiras submetidas a diferentes espaçamentos e formas de adubação mineral e orgânica, na Amazônia Central. O experimento foi conduzido no município de Presidente Figueiredo-AM, Brasil. O delineamento estatístico usado foi o de blocos casualizados com três repetições, segundo esquema fatorial 2 x 5, sendo os fatores: dois espaçamentos (1,0 x 0,5 m e 1,0 x 1,0 m) e adubação (mineral e orgânica). Os tratamentos foram constituídos de: 1) adubação mineral, sob a fórmula 225-90-180 kg ha-1ano-1 de N-P2O5-K2O; 2) adu­bação mineral + 2,5 kg de esterco; 3) 5 kg de torta de filtro; 4) 5 kg de composto, e 5) adubação mine­ral + composto. A adubação foi na cova, sendo a formulação mineral completa e o esterco aplicados na primeira parcela. As outras três parcelas foram compostas de N, K e pelos demais elementos orgânicos. No primeiro ano de produção, não se verificou interação significativa entre adubação e espaçamentos para todas as variáveis avaliadas. Assim, para adubação, as misturas de adubo mine­ral com o composto ou com esterco de galinha apresentaram maiores valores na produção de estipe e palmito total, enquanto o espaçamento de 1,0 x 0,5 m produz mais palmito total, diferindo do segundo espaçamento avaliado. Neste trabalho, não foi constatada diferença significativa entre os fatores comprimento e diâmetro do palmito, tanto nas formas de adubação, quanto nos espaçamen­tos testados.


Texto completo:

ARTIGO COMPLETO


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n3p252-257