Eficácia do herbicida halosulfuron para o controle da tiririca (Cyperus rotundus L.) e seletividade às plantas de cana-de-açúcar (Saccharum spp.)

Julio Cezar Durigan, Antonio Sena Filho, Paulo César Timossi, Gilson José Leite, Antônio J. B. Galli

Resumo


O controle de plantas daninhas na cultura da cana-de-açúcar depende, basicamente, do uso de herbicidas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia do herbicida halosulfuron no controle da tiririca (Cyperus rotundus L.) e seu efeito tóxico às plantas de cana-de-açúcar, cultivar BR72454. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com nove tratamentos e seis repetições. Os tratamentos com herbicidas, além das testemunhas capinada e infestada, foram: o halosulfuron (0,0375; 0,0562; 0,0750; 0,0937; 0,25 e 0,32 kg ha-) com adição de surfatantes (Gernamin T200® ou Aterbane®, a 0,5% v/v), e o 2,4-D (2,0 kg ha-), ambos aplicados em pós-emergência. O halosulfuron, nas doses de 0,0937; 0,25 e 0,32 kg ha-, proporcionou controle da tiririca acima de 80%, e melhores porcentagens de controle foram observadas a partir do segundo ano, independentemente da época de avaliação. A redução percentual de tubérculos de tiririca, proporcionada pelo halosulfuron, foi acima de 92% a partir do terceiro ano e superior a 99% no quinto ano, em todas as doses. A eficácia no controle e na redução de tubérculos, proporcionada pelo 2,4-D, foi considerada baixa e inconstante. Os dois herbicidas revelaram-se seletivos às plantas de cana-de-açúcar que, por sua vez, se mostrou tolerante à interferência proporcionada pela tiririca, sem perdas de produtividade.Palavras-chave adicionais: planta daninha; controle químico; interferência; produtividade.

Texto completo:

Artigo Completo - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n2p134+-+141