Caracterização da qualidade fisiológica de sementes de arroz-crioulo da safra de 2010/2011

Cileide Maria Medeiros Coelho, Moises M Pollak Junior, Clovis Arruda de Souza, Cirio Parizoto

Resumo


O cultivo de arroz de sequeiro, em Santa Catarina, tem diminuído substancialmente nos últimos anos, e as sementes são guardadas em domínio do próprio agricultor, o que compromete sua qualidade. Este trabalho tem o objetivo de resgatar os genótipos crioulos de arroz e caracterizar a qualidade fisiológica das sementes produzidas, indicando os genótipos mais promissores. O experimento foi conduzido com onze cultivares crioulas de Oryza sativa: Amarelão, Agulha, Rosa 15, Mato Grosso, Gomes, Preto, Argentino, Kinsel, Camilo, Piriquitinho e Casca Roxa; todos referentes à safra de 2010/2011, produzidas em Campos Novos. As sementes foram avaliadas no laboratório da UFSC--CCA, quanto à viabilidade pelo percentual de germinação e vigor (tolerância ao estresse por envelhe­cimento acelerado, teste do frio e condutividade elétrica). Os testes de germinação e de vigor foram realizados com base nas Regras de Análises de Sementes, ambos com quatro repetições de 50 sementes. As médias foram comparadas pelo teste de Scott - Knott ao nível de 5% de probabilidade. Os resultados demonstraram a existência de variabilidade entre os genótipos para as caraterísticas fisiológicas das sementes. Das onze cultivares, as cultivares Agulha, Rosa 15 e Camilo apresentaram mais de 80% de germinação e maior tolerância ao estresse por envelhecimento acelerado e por frio, demonstrando elevado potencial fisiológico em suas sementes.


Palavras-chave


Oryza sativa; cultivares; germinação; vigor.

Texto completo:

ARTIGO COMPLETO


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n3p278-284