Híbridos de tomateiro industrial cultivados em ambiente protegido e campo aberto

Alexsander Seleguini, Shizuo Seno, Max José de Araújo Faria Júnior

Resumo


Estudaram-se o desempenho produtivo e a qualidade de frutos de cinco híbridos de tomate industrial (‘AP 529’, ‘AP 533’, ‘Malinta’, ‘Heinz 9992’ e ‘Rio Brazil’) no cultivo em ambiente protegido e campo aberto, visando à produção para mercado de mesa. O experimento foi conduzido de março a agosto de 2004, na Fazenda de Ensino, Pesquisa e Extensão da Unesp, câmpus de Ilha Solteira. Verificou-se que, em ambiente protegido, foram maiores a sobrevivência e o número de frutos médios, pequenos e totais produzidos por área. A produtividade total não diferiu entre os ambientes de cultivo; entretanto, o cultivo em campo apresentou maior produção de frutos graúdos, além de frutos com maior massa média. Em relação aos híbridos, a produtividade variou de 80,6 a 0,8 t ha-, destacando-se os híbridos AP 529 e AP 533, com rendimentos acima de 97,0 t ha-. Verificou-se que, tanto para locais como para híbridos, os valores de pH, acidez titulável, sólidos solúveis e relação sólidos solúveis/acidez ficaram dentro dos padrões para o consumo in natura. Os híbridos de tomate industrial AP 533 e AP 529 apresentaram-se como mais aptos para produção de frutos para mesa, tanto cultivados no campo como em ambiente protegido. Palavras-chave adicionais: Lycopersicon esculentum Mill; cultivo protegido; qualidade de frutos; sistema de condução.

Texto completo:

Artigo Completo - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2007v35n1p80+-+87