Biomassa e densidade de anelídeos e miriápodes como indicadores da qualidade de um solo afetado pela mobilização eadição de cobertura morta

Delfim Santana Pinheiro Guterres Júnior, Emanoel Gomes de Moura, Alana das Chagas Ferreira Aguiar, Maria de Nazareth Machado Moraes Segunda, Nárgila Gomes de Moura, Altamiro Souza de Lima Ferraz Júnior

Resumo


Para testar a hipótese de que anelídeos e miriápodes podem ser utilizados para ajudar a avaliar a qualidade do solo foi delineado um experimento com quatro repetições, em blocos completamente casualizados, no esquema fatorial 4 x 2, composto por quatro níveis de cobertura morta de 4,6; 3,6 e 3,0 Mg ha- de matéria seca e solo descoberto, e a dois manejos do solo: mobilizado e não mobilizado. No primeiro ano, foi semeada entre as aleias de feijão-guandu (Cajanus cajan), a cultura do algodoeiro (Gossypium hirsutum), e no segundo ano foi semeada a cultura do milho (Zea mays). A coleta da macrofauna incluiu anelídeos e miriápodes. O algodoeiro foi avaliado por meio do índice de área foliar, da taxa de crescimento estimada e no milho foi avaliada a produção de grãos. Anelídeos e miriápodes mostraram-se menos sensíveis do que o algodoeiro quanto às alterações proporcionadas pela cobertura morta nos indicadores da qualidade do solo, mas a densidade e biomassa dos anelídeos e miriápodes aumentaram com a reiteração da cobertura e do plantio direto. Os resultados deste trabalho sugerem que anelídeos e miriápodes devem ser incluídos nas avaliações de médio e de longo prazos de agrossistemas tropicais. Palavras-chave adicionais: argissolo; fauna do solo; plantio direto; indicadores de solo.

Texto completo:

Artigo Completo - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/1984-5529.2007v35n1p71+-+79