Sementes de Eucalyptus citriodora, E. phaeotricha e E. Propínqua submetidas a classificação por peneiras

Autores

  • Ana Sara Vieira BARBOSA Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita filho”
  • Tatiane Sanches JEROMINI Laboratório de Qualidade de Sementes de Soja da BASF
  • Givanildo Zildo SILVA Universidade Federal de Jataí
  • Cibele Chalita MARTINS Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita filho”

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2022.v50.1445

Palavras-chave:

Germinação, Myrtaceae, pureza, tamanho de sementes

Resumo

A qualidade de sementes é influenciada por vários fatores como densidade e tamanho de sementes. O objetivo desse trabalho foi avaliar a qualidade física e fisiológica de sementes de Corymbia citriodora, E. phaeotricha e E. propinqua submetidas a classificação por peneiras. As sementes passaram por peneiras que retinham os seguintes tamanhos:  C. citriodora (2.00; 1.68; 1.41; 1.19; 1.00 mm), E. phaeotricha (1.41; 1.19; 1.00; 0.84 mm) and E. propinqua (1.00; 0.84; 0.71; 0.59 e 0.50 mm). Foram realizados os testes de porcentagem de retenção, pureza física, germinação, primeira contagem, índice de velocidade e tempo médio de germinação. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado com quatro repetições e cinco tratamentos para C. citriodora e E. propinqua, e quatro tratamentos para E. phaeotricha devido ao número de peneiras que retêm as sementes. Os dados foram submetidos à análise de variância pelo teste F. Quando significativas, as médias relacionadas a classificação das sementes por peneiras foram comparadas usando o teste de Tukey a 5% de probabilidade. O uso de peneiras de classificação é eficiente para a separação de sementes de alta qualidade física e fisiológica. As sementes de C. citriodora com tamanho de 1,41 a 2,00 mm apresentam máxima qualidade física e fisiológica e podem ser peletizadas. Para sementes de E. phaeotricha e E. propinqua os tamanhos de 1,19 a 1,41 mm e 0,84 a 1,00 mm, respectivamente, apresentam a máxima qualidade física e fisiológica.

Referências

Affonso CE, Silva GZ, Jeromini TS, Martins CC (2018) Germination test of Eucalyptus phaeotricha seeds. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 22(9):653-657. https://doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v22n9p653-657

Aguiar IB, Mardegan AG (1987) Beneficiamento de sementes de Eucalyptus saligna SM. Revista Brasileira de Sementes 9(2): 9-17. https://doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v9n2p9-17

Aguiar IB, Carvalho NM, Damasceno MCM (1979) Influência do tamanho sobre a germinação e o vigor de sementes de eucalipto. Revista Brasileira de Sementes 1(1):53-58. https://doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v1n1p53-58

Almeida C, Rocha, SCS (2008) Eficiência do processo de recobrimento de sementes de brócolos recobertas com polímero em leito de jorro. Engenharia agrícola 28(2):305-314. https://doi.org/10.1590/S0100-69162008000200011

Bernardi A, Ramos AR, Silva AWLD (2019) Seed size affects productive parameters in Sudan grass. Ciência Rural 49(4):1-6. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20180248

Brasil, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2013) Instruções para análise de sementes de espécies florestais. Brasília: MAPA 98p.

Caldeira CM, Carvalho MLMD, Guimarães RM, Coelho SVB (2016) Quality of tobacco seeds during the pelletizing process and storage. Ciência Rural 46(2):216-220. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20141272

Cetnarski Filho R, Carvalho RIN (2009) Massa da amostra, substrato e temperatura para teste de germinação de sementes de Eucalyptus dunnii Maiden. Ciência Florestal 19(3): 257-265.

Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF). Indicações para escolha de espécies de Eucalyptus. Piracicaba, 2005. Disponível em: http://www.ipef.br/identificacao/cief/especies/propinqua.asp

Jeromini TS, Martins CC, Pereira FEB, Gomes Junior FG (2019) The use of X-ray to evaluate Brachiaria brizantha seeds quality during seed processing. Revista Ciência Agronômica 50(3): 439-446. https://doi.org/10.5935/1806-6690.20190052

Jeromini TS, Affonso CE, Martins CC (2021) Effect of size classification on physical and physiological quality aimed at pelletizing seeds of Eucalyptus species. Floresta e Ambiente 28(3): e20200092. https://doi.org/10.1590/2179-8087-floram-2020-0092

Labouriau LG, Valadares MEB (1976) On the germination of seeds Calotropis procera. Anais da Academia Brasileira de Ciências 48:174-186.

Lin L, Chen W, Li C, Cui H (2019) Enhancing stability of Corymbia citriodora essential oil by solid nanoliposomes encapsulation. Industrial Crops and Products 140:111615. https://doi.org/10.1016/j.indcrop.2019.111615

Lorenzi, H. Árvores exóticas no Brasil. 1.ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2003. 382p.

Lúcio ADC, Oliveira F, Lopes SJ (2011) Limites de confiança para variáveis em análises de sementes de espécies florestais exóticas. Revista Árvore 35(6):1165-1171. https://doi.org/10.1590/S0100-67622011000700002

Maguire JD (1962) Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedlings emergence and vigor. Crop Science 2:176-177. https://doi.org/10.1590/S1516-05722014000100002

Martins CC, Pereira MRR, Lopes MTG (2014) Germinação de sementes de eucalipto sob estresse hídrico e salino. Bioscience Journal 30:318-329.

Melo LF, Martins CC, Silva GZ, Boneti JEB, Vieira RD (2016) Beneficiamento na qualidade física e fisiológica de sementes de capim-mombaça. Revista Ciência Agronômica 47(4):667-674. https://doi.org/10.5935/1806-6690.20160080

Melo LFD, Martins CC, Silva GZ, Pereira FECB, Jeromini TS (2018) Effects of processing phases on the quality of massai grass seeds. Revista Ciência Agronômica 49(2):259-266. https://doi.org/10.5935/1806-6690.20180029

Naidu RD, Jones NB (2010) Effect of seed size on field survival and growth of Eucalyptus in KwaZulu-Natal, South Africa. Southern Hemisphere Forestry Journal 69(1):19-26. https://doi.org/10.2989/SHFJ.2007.69.1.3.165

Nakagawa J, Mori ES, Amaral WAN, Mello EJ (2001) Envelhecimento acelerado em sementes de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden classificadas por tamanho. Scientia Forestalis 60:99-108.

Nunes RTC, Araujo Neto AC, Souza UO, Fogaça JJNL, Morais OM (2016) Relação entre o tamanho e a qualidade fisiológica de sementes de feijão-caupi. Cultura Agronômica 25(4):01-11.

https://doi.org/10.32929/2446-8355.2016v25n4p339-350

Salem MZ, Elansary HO, Ali HM, El-Settawy AA, Elshikh MS, Abdel-Salam EM, Skalicka-Woźniak K (2018) Bioactivity of essential oils extracted from Cupressus macrocarpa branchlets and Corymbia citriodora leaves grown in Egypt. BMC Complementary and Alternative Medicine 18(1):23. https://doi.org/10.1186/s12906-018-2085-0

Santos SRG (2016) Peletização de Sementes Florestais no Brasil: uma atualização. Floresta e Ambiente 23(2):286-294. https://doi.org/10.1590/2179-8087.120414

Schmidt F (2019) Qualidade da classificação física e plantabilidade no campo de lotes de sementes de milho variedade. Brazilian Journal of Development 5(7):8591-8602. https://doi.org/10.34117/bjdv5n7-072

Silva AF, Kasai Y, Castellani E, Aguiar I, Carvalho N (1994) Influência do tamanho sobre a qualidade das sementes de Eucalyptus maculata Hook. Revista Brasileira de Sementes 16(2):187-190.

https://doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v16n2p187-190

Serviço Florestal Brasileiro [SFB] (2018) Boletim SNIF 2018. http://www.florestal.gov.br/documentos/publicacoes/4092-boletim-snif-2018-ed1/file

Walker C, Araújo MM, Maciel CG, Marcuzzo SB (2011) Viveiro florestal: evolução tecnológica e legalização. Revista Verde 6(5):8-14.

Downloads

Publicado

28/11/2022

Como Citar

BARBOSA, A. S. V. .; JEROMINI, T. S. .; SILVA, G. Z.; MARTINS, C. C. Sementes de Eucalyptus citriodora, E. phaeotricha e E. Propínqua submetidas a classificação por peneiras. Científica, Dracena, SP, v. 50, p. 1–7, 2022. DOI: 10.15361/1984-5529.2022.v50.1445. Disponível em: http://cientifica.org.br/index.php/cientifica/article/view/1445. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Silvicultura/Engenharia Florestal - Forestry